segunda-feira, fevereiro 20, 2006

...Chafinda... Siroco...UNITA...

Chafinda era um destacamento autónomo, ao nível de pelotão, se bem me lembro*. Creio que era a única unidade de artilharia ligeira na região.Talvez dependesse directamente do comando militar da região leste. Nada tinha a ver com a 2544; mas grupos da nossa companhia, enquadrando G.E.´s e em conjunto com os paraquedistas e a infantaria (companhia independente de madeirenses) instalados na Léua, visitaram Chafinda, em missões várias. Lumege/Léua/Chafinda era um percurso familiar. E bem difícil! Alíás, será interessante recordar que a 2544 "fornecia" grupos para intervenções em vastíssima área, da fronteira em Teixeira de Sousa a territórios de Silva Porto. Integrados no batalhão de comandos do coronel Santos e Castro e major Durão "estivemos" na célebre operação "Siroco" e até nos "cruzámos", certa noite, bem escura, em final de imensa operação em região de "controle" da UNITA, com a cavalaria (mesmo a cavalo) de Silva Porto. E que susto apanhámos, até toda a companhia (cavalos e homens) passarem... sem nos detectarem!

Marques de Freitas

* Mas então... em Chafinda não estava a C.Caç.2678? - z.o.

5 comentários:

Armando Monteiro disse...

Meu caro Marques de Freitas: Estes relatos são caracterizados por estarem escritos na primeira pessoa, acabam por ser relatos de quem viveu a história e por isso mesmo deve haver o cuidado de referir sempre que possível a data em que a acção se desenrolou.

Na época em que fui a Chafinda, em 1971, penso que se tratava de um destacamento da companhia que estava sedeada no Lumege, era uma estrada difícil e frequentemente minada.

As operações conjuntas que metiam Paras, Ge, tropa de infantaria e katanguses, que patrulhavam as matas em direcção à Leua tinham o nome de código de Marfim.

As Siroco patrulhavam a zona entre o Lumege e o rio cassai, igualmente com a intervenção de tropas especiais, com apoio aéreo e a intervenção do batalhão sedeado em Dala, junto às quedas do Cassai. Além de patrulharem a zona tinham como objectivo levar as populações até às suas antigas lavras a colher a mandioca em segurança.

As operações a cavalo, com a intervenção dos dragões do Munhango, realizavam-se uma vez por ano na área da Cameia e tinham por nome de código Eolo, tenho pena que só os tenha visto de noite porque ver na Cameia uma frente de 100 cavaleiros, é coisa inesquecível.

Tenho fotografias destas coisas que quando for oportuno estão ao dispor.

Armando Monteiro

Anónimo disse...

Em qual das operações. Estive na primeira - finais de 69, inícios de 70.
C Cordeiro

Fernando disse...

Também estive na 1ª em Dez69.
FCastela

Anónimo disse...

Pois. Finais de 69, No Natal já tinha acabado o Agrupamento.
CCordeiro

Pedro Nascimento disse...

A companhia de caçadores 2678 esteve em chafinda!! Garanto-vos isso!! Pois eu fazia parte dessa companhia e tenho fotos nossas em chafinda!! Quem quiser ver as fotos é só se adicionar como amigo no facebook da companhia de caçadores 2678. Espero esclarecer alguma coisa!