quarta-feira, março 29, 2006


.
As fotos do encontro
de Fernanda Brásio
com a madrinha

Lembram-se de, logo no começo do nosso blog, termos dado a conhecer a vontade que Fernanda Brásio tinha em conseguir encontrar a sua madrinha, Maria de Lurdes Correia?
Fernanda, que nascera no Lumege, era ainda bebé quando lá estivemos. O seu pai, que fora militar e, mais tarde, trabalhara na Segurança do Caminho de Ferro de Benguela, faleceu entretanto e recomendou à sua filha que tentasse encontrar a madrinha, pois as andanças da vida haviam-nos separado.

Foi através deste blog (e graças à imprescindível colaboração do Abílio Henriques, que obteve pistas junto do ex-sargento Roma) que Fernanda Brásio localizou a sua madrinha em Torres Vedras.
Fernanda, que vive na Bélgica, veio a Torres Vedras procurar a madrinha e encontrou-a, para felicidade de ambas, como documentam as fotos.

Fernanda Brásio não se cansa de nos manifestar a sua alegria, como é o caso destas palavras que acompanhavam as fotos: "conseguiram realizar o meu sonho de encontrar a minha madrinha". As palavras de elogio que nos faz, não vale a pena publicá-las.

Agora, Fernanda tenciona vir conhecer-nos a Abrantes em 2 de Setembro. Pois será bem recebida!

2 comentários:

Anónimo disse...

Zé Oliveira e amigos do blog Lumege:
Esperamos por vós no espaço Som da Tinta, em Ourém, às 17 horas, no próximo dia 01 de Abril, para o lançamento da antologia poética "Do Mar Grande e D'outras Águas", na qual participamos (eu e a Susana Júlio, entre outros participantes).
Haverá poesia, música e exposição colectiva de fotografia sobre mar e outras águas.
Até lá!
Carmen Zita Ferreira

Dulcídio Ribeiro disse...

Que saudade. Gostei demais ver a minha tia com sua afilhada. Eu sou neto do velho Santos Pais do Lumege.Sou natural do Lumege estudei lá a primária depois fui para o Luso para o colégio de S. Bento. Fiz o serviço militar na FAP em Saurimo e depois no Luso. Vão colocando fotos do Lumege pois eu não tenho nenhuma, pois ficaram na minha casa que foi tomada. (Não vou culpar ninguem). Estou actualmente no Brasil. mas meu coração nunca saíu de Angola. Um abraço para todos.