sábado, maio 17, 2008

Morte na Picada
Para ler e recordar
Contos da guerra em Angola da autoria de Antunes Ferreira
.

A informação começou por nos chegar em comentário.
Pegámos no assunto e, junto do autor, recolhemos mais detalhes. Que aqui se registam.

«Morte na Picada», da autoria de Antunes Ferreira, numa edição da Via Occidentalis, está a caminho do sucesso. Aquando do seu lançamento na fnac do Colombo, no dia 15 de Abril (mais de 200 pessoas presentes), Joaquim Furtado – um grande Jornalista, autor da série A Guerra Colonial, um enorme êxito na RTP - afirmou, na apresentação que o livro, «de que gostei mesmo muito», em seu entender, «é o melhor que, no género, e sobre o tema foi publicado em Portugal». O «Morte na Picada» tem no prelo a 2.ª edição.
Recorda-se que o Correio da Manhã já há três semanas que está a proporcionar aos seus leitores a primeira parte dos programas de Joaquim Furtado em DVD semanal. A segunda série vai começar a passar também na RTP, muito brevemente.
Entretanto, o autor deslocou-se a Coimbra e ao Porto e lá apresentou o livro, nas livrarias Bertrand dos centros comerciais Dolce Vita daquelas cidades, bem como autografou exemplares. A Bertrand é a distribuidora do volume, uma série de contos (short stories) sobre a guerra colonial de Angola, cuja acção decorre em meados dos anos 60.
Antunes Ferreira tem vindo a conceder várias entrevistas a órgãos da Comunicação Social, entre os quais avulta o Diário de Notícias, em que trabalhou como jornalista durante 16 anos e de que foi Chefe da Redacção. Mas, outros jornais e rádios têm igualmente registado o acontecimento.
A editora da obra é a Via Occidentalis, (
www.via-occidentalis.blogs.sapo.pt) de Lisboa. No blogue podem ser consultados todos os dados sobre o livro, cujo preço de capa é € 14,70. Tem um prefácio da autoria de Joaquim Vieira e a capa e as fotos do interior são de Fernando Farinha, para muitos o maior repórter fotográfico da guerra de Angola.
«Morte na Picada» tem sido muito bem recebido junto de ex-combatentes das guerras coloniais (ultramarinas) que, apesar de se tratar de ficção, vêm nas suas páginas um retrato muito próximo da realidade. o que não admira, pois Antunes Ferreira, que nela participou, tem a experiência daquilo que, segundo diz, «foi uma infelicidade, sobretudo porque estava contra esse crime».

2 comentários:

Manuel Pedro, ex Cap. miliciano disse...

Já li o livro. É empolgante, é emocionante, tem muita graça, tem muitas mulheres boazonas, está muito bem escrito - e é comovente. Concordo com o Joaquim Furtado: é, se não o melhor, um dos melhores publicados no nosso País sobre a guerra colonial. Já o recomendei a amigos do meu tempo de mobilizado em Angola.
Parabens ao autor, parabens ao editor e parabens ao dono deste excelente blog.

João Armando Raul Silva, ex-furr.mil. disse...

Excelente o «Morte na Picada». Já comprei oito para ofertas de aniversários aos camaradas que estiveram comigo em Henrique de Carvalho em 1968, na CC 2387.
Vê-se mesmo que o Sr. Antunes Ferreira percebeu no que estava metido e foi capaz de escrevê-lo. Andou lá e isso diz tudo.
Venham mais