terça-feira, abril 25, 2006

Comentário em 13 de Abril
Armando Monteiro, visita regular do blog Lumege, deixou recentemente um comentário a um post de 13 de Abril.
Por se tratar de um ponto de vista que vale a pena conhecer (esteja-se ou não de acordo com ele) chamamos a atenção para esse comentário. Não o transcrevemos para aqui, porque só se frui a sua compreensão total retomando conhecimento do post que ele comenta.

Portanto, o leitor deve recuar até 13 de Abril e abrir o comentário ao post "Assistência Humanitária em dificuldades".

1 comentário:

Carvalho de Almeida disse...

Numa busca a sites que me recordem Angola onde fiz parte do serviço militar vim dar com este e pela primeira vez estou a tomar conhecimento do que aqui se diz e conta.Estive 16 meses na antiga Cidade Vila Luso actual Luena e por diversas vezes fiz incursões pela zona do Lumege isto nos anos de 1968/69. A sua chamada de atenção vez ir ler o post de 13 de Abril,bem como os comentários que o mesmo suscitou.Com o meu maior respeito,estou de acordo com Armando Monteiro na totalidade. Sentia-se naquelas populações que nos viam como amigos e protectores.
O que se passou depois do 25 A já nos ultrapassa mas pressentia-se que isso poderia vir a acontecer .
Também era sabido que as milicias actuavam numa maneira que lhe chamava-mos o pau de dois bicos,sobretudo quando actuavam sózinhas o que não aconteceu a principio da sua constituição.A troca de informações entre eles e os elementos da Unita e Mpla era recíproca,mas o nosso exército também tal usou sobretudo no Norte de Angola,havendo até uma arvore que se designava por marco do correio onde eram estabelecidas troca de informações entre as partes.No fim de tudo o que ficou? Um povo mártir e entregue a si próprio e à vontade de poderes estrangeiros.Nunca senti tal enquanto lá estive.Nós não eramos estrangeiros.Sentia-se em todos.E agora?