segunda-feira, maio 22, 2006

..
"...ninguém bateu palmas"
.

12 de Julho de 1969, C.Caç 2544 em Lisboa a caminho do embarque

.

.

Texto: Armando Monteiro *
Fotos: Fernando Hipólito **
Estes embarques eram momentos dramáticos. Quando chegou a minha vez ano e meio mais tarde, depois de uma despedida de Lisboa à noite, foi tempo de ir pôr as malas no camarote e voltar para a convivência no cais, onde o ambiente até era descontraído. Chegou a hora, e começámos a formar para a entrada no navio. O meu batalhão seria o primeiro a entrar, à minha frente o major de operações, depois o capitão cmdt da CCS, a seguir eu, como oficial mais antigo da CCS, fez-se silêncio no cais... ao som do toque de caixa o major dá ordem ao batalhão para avançar, o capitão repete para a companhia, eu dou ordem ao pelotão, que se põe em marcha, então o silêncio transforma-se em gritos de desespero, os familiares gritavam pelos filhos, pelos irmãos, criou-se um ambiente de drama. De repente senti que todos os olhares estavam fixados em mim e pensei como iria representar aquela cena até ao fim, pôr uma cara alegre, tentando aliviar a tensão, poderia ser negativo, o meu filho vai como um pateta alegre irresponsável... pôr uma cara triste seria agravar ainda mais a situação, tentei manter a calma e segui com passo certo até dentro do navio, onde confesso me senti aliviado. Foi um dos momentos mais dramáticos da minha vida. Mais tarde já na amurada do Infante D. Henrique, continuava no cais o desespero da multidão, fiz um comentário para o lado - não pensei que isto fosse assim, todo este drama... e responderam-me: - já reparaste que alguns deste homens que estão a embarcar não voltarão?
......ninguém bateu palmas, sempre fui um mau actor...



Em plano de fundo, o Vera Cruz. Cais da Rocha do Conde de Óbidos, 12 de Julho de 1969

.

Já a bordo do Vera Cruz. Da esquerda para a direita: Numídio, Alho, Santos, Hipólito num momento de descontracção.

* Alferes de Transmissões do batalhão que nos rendeu no Lumege

**As fotos são do album de Fernando Hipólito. Não reflectem o dramatismo contido no texto, mas são as mais adequadas que possuímos em arquivo. Sugerimos mais uma visita à foto do texto abaixo (O Século)

1 comentário:

Henriques disse...

É verdade, tudo o que é descrito pelo o Armando Monteiro no seu embarque se repetiu durante 14 anos .
Mas eu interrogo-me se não se poderia ter evitado, e penso que seria possivel,se os governantes olhassem para os ventos da mudança, se não vejamos.
Em 15 de Agosto 1947 independência da India.
Em 4 de Fevereiro 1953 manifestações emBatepá São Tomé e Principe que conduzem a uma violenta repressão.
Em 20 de Maio de 1954 Aprovado Estatuto dos indigenas Portugueses das Provincias da Guiné,Angola,e Moçambique,que divide populações em três grupos: indigenas, assimilados e brancos(rdiculo).
Em 24 de Junho 1954 Invasão dos inclaves de Dadrá e Ngar-Aveli pela União Indiana.
Em Outubro de 1954 Fundação da UPNA (união dos povos do Norte de Angola), em Leopoldeville, dirigida por Holden Roberto.
Em 18 de Setembro de 1956 Fundação em Bissau, do PAIGC dirigido por Amilcar Cabral.
Em 10 de Dezembro d e1956 Fundação em Luanda do MPLA chefiado por Mário de Andrade.
Em 6 de Março de 1957 independência do Gana (antiga Costa do Ouro).
Em 26 de Dezembro Inicio da Conferêcia Afro-Asiatica do Cairo, com representações de 35 países, que proclamou o direito dos povos à autodeterminação,à soberania e à independência.
Em 2 de Outubro de 1958 Independência da Guiné-Conacri.
Em 3 de Agosto de de 1959
Em Pidjiguiti, em Bissau ma nifestações com estivadores e grevistas, causando dezenas de mortos.
Em 4 de Agosto de 1959 Inicio dada Conferência dos Estados Independentes, em Monróvia, que numa das resoluções aprovads , proclamava o direito à autodeterminação dos territórios coloniais.
(Depois de estes e outros alertas).
Em 20 de Janeiro Directiva do CEMGFA que altera os objectivos estratégicos da defesa nacional, apontando para uma futura guerra no Ultramar.
Em 4 de Abril de 1960 Independência do Senegal.
(Portugal não começa a trabalhar não para uma autodeterminação, mas sim para a Guerra)
Em 16 de Abril de 1960 Dcreto-lei de criação do Centro de Intrução de Operações Especiais em Lamego. Em 25 de Abril de 1960 Criação do Depósito Geral de Adidos.
Em 13 de junho de 1960 Declaração do MPLA ao Governo portugês para a solução pacifica do problema colonial.
Em 25 de Junho de 1960 Prisão de dezenas de angolanos, entre os quais Agostinho Netoe Joaquim Pinto de Andrade.
Em 30 de Junho de 1960Indeendência do ex Congo Belga (depouis Zaire e actualmente de novo Congo)
Em 15 de Agosto de 1960 Independência do ex Congo francês.
Em 25 de Setembro de 1960 Petição do PAIGC ao Governo português para resolução pacifica do problema da Guiné.
Nota: toda informação pequisada na web (OPORTAL DA HISTÓRIA).

Penso que se poderia ter evitado uma guerra, que se se poderia ter evitado as cenas do cais de Alcantara e da Rocha Codne de Óbidos.
Foram 14 anos de mães , pais ,fihos amigos ,que ficaram com os coração partido, milhões de lágrimas derramadas por Portugal, no final a grande interrogação, valeu apena?
Esta tem sido a minha interrogação e penso a que de muitos camaradas.

Henriqques